Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Escrutinio permanente

13.08.15

Politicos e assesores: habituem-se. Estão agora a serem permanentemente escrutinados. O mais pequeno erro é a morte do artista. Nas redes sociais é o híper gozo. Não perdoam.

Esta campanha revela já uma realidade que vai permanecer. O poder da palavra, da influência, deixou de estar nas mãos de poucos. Massificou-se através das redes sociais.
Há muita gente à espreita. Observam, pesquisam, e comentam. Cada falha é mil vezes destacada. Pior: é puro gozo.
O que se tem passado é bem revelador. Antes dos media pegarem na história, ela já se propagou nas redes sociais.
O folhetim dos cartazes é o último exemplo. Os erros tornaram-se colossais! Quando os media pegaram nas histórias a narrativa já estava no fim.  Limitaram-se a dar eco.
Numa altura onde as duas maiores forças políticas apostam numa postura defensiva, cautelosa, os erros na comunicação política destruiram o efeito pretendido da mensagem.
Como dizia Roger Ailes "you are the message". Se a mensagem é errada ou foi distorcida, se não sabes comunicar, ningém quer ser teu amigo no Facebook!

- nem a propósito. ver texto "Está a causar grande polémica nas redes sociais…" de Paulo Ferreira no Observador

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:36




Pesquisar

Pesquisar no Blog  



Arquivos

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D