Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Catarina Martins - Paulo Portas

08.09.15

1. Não se pode deixar Paulo Portas em roda livre. Nem o moderador nem o adversário político. Ele apropria-se da gestão do tempo.

2. Falar de desemprego com um sorriso mata a mensagem.

3. Ter uma imagem de combate, oposição forte e aparecer com ar doce, provoca efeito de estranheza.

4. Só ao fim de 22 minutos começar-se a falar dos problemas do dia a dia dos portugueses é anular uma oportunidade.

5. Falar continuamente 3 a 4 minutos perde eficácia. Afinal o que queria dizer? A economia da linguagem é essencial.

6. Não ser economista e sentir a necessidade de afirmar que se sabe do que se fala é secundário. O eleitor quer saber o que se compromete a fazer. O que os outros não fizeram bem. Só isso. Economês não é para debate.

7. A oposição perdeu a noção social do descontentamento. Falar de números, estatísticas, políticas macroenconomicas... esquece o eleitor que está desempregado. Que tem uma angústia. Esquece o reformado que teve uma expectativa de estabilidade para os últimos anos da sua vida e que nunca imaginou as privações por que passa. Pessoas. Casos. O drama de situações concretas. A vida das pessoas não as abstrações.

 audiência: 218.700 pessoas
Vídeo na SIC Notícias

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:24


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.




Pesquisar

Pesquisar no Blog  



Arquivos

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D